Alimentos saudáveis e livres de agrotóxicos: produtores rurais de Santa Luzia participam de Plano de Manejo Orgânico


Nada melhor que um alimento fresquinho e saudável diretamente da horta, não é mesmo? Esse é um dos objetivos do Plano de Manejo Orgânico promovido pela Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais (Emater), em parceria com produtores rurais de cidades como Santa Luzia, Pedro Leopoldo, Lagoa Santa e Capim Branco, com apoio das Prefeituras Municipais, incluindo a de Santa Luzia.

Nesta segunda-feira (10), uma visita técnica e de estudos foi realizada com um grupo de produtores na propriedade do Sr. João Dias, na zona rural de Santa Luzia. O projeto tem por objetivo promover o desenvolvimento sustentável e a competitividade do agronegócio em benefício da sociedade brasileira. A intenção dos produtores é passar do manejo convencional para o manejo orgânico, levando até o consumidor final um alimento livre de agrotóxicos e, consequentemente, mais saudável. Realizadas as etapas, o produtor pode obter a certificação que é validada pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). Esses produtores fornecem e comercializam alimentos como hortaliças e frutas na feira livre.

São realizadas ao menos duas visitas obrigatórias por propriedade para a certificação dos produtos. As avaliações são feitas pelos técnicos do Emater e também pelos próprios produtores participantes, que além de receberem as visitas também vão às demais propriedades para ajudar na avaliação. Essas visitas são realizadas mensalmente para certificar que os trabalhos do produtor estão em conformidade ou não com as exigências determinadas pelo Mapa. Além da parte técnica, estudos da legislação e debates são feitos com o intuito de trocar experiências e informações. Entre as etapas do manejo estão: plano de conversão; identificação de embalagens e rotulagens; informações obrigatórias; adubação orgânica; aspectos ambientais; controle de pragas e doenças; mudas e sementes; origem dos animais; manejo; alimentação dos animais, transporte, abate e comercialização; aspectos sanitários; garantia da integridade orgânica do produto; e avaliação de insumos, aditivos e auxiliares.

Para o Sr. João Dias, 74 anos, o grupo de produtores é fundamental nesse processo de adaptação ao manejo orgânico. “A vantagem é saber o que pode e o que não pode fazer. O uso do esterco, por exemplo, apenas após a compostagem. Agora que sabemos muitas coisas, estamos adaptando a nossa produção e melhorando a qualidade do alimento”, destaca sobre quais fertilizantes, adubos, insumos e sementes autorizados para uso.

De acordo com o técnico do Emater de Santa Luzia, Luciano Marques da Costa, o plano de manejo é uma etapa de muita importância e também aprendizagem para os produtores rurais. “Além da certificação, que é gratuita e garante qualidade aos produtos e credibilidade na comercialização, a troca de experiências e informações é muito enriquecedora, uma vez que os produtores não apenas são fiscalizados, mas também fiscalizam os demais”, enaltece.
Aos produtores interessados em participar entrar em contato com o Emater de Santa Luzia, na rua Benedito Freire da Paz, n° 83, Boa Esperança, ou pelo 3641-5490.



Fonte: -> Fonte Desta Notícia