Celebrações religiosas e procissão motorizada marcaram encerramento do Jubileu 2020

[ad_1]

No último domingo (13), dia de Santa Luzia, padroeira da cidade que leva seu nome, foram realizadas as últimas cerimônias em homenagem à santa. Este ano as festividades do jubileu, tradição em Santa Luzia, precisaram se adaptar às restrições impostas pela Covid-19. Durante todo o dia, foram celebradas missas na Igreja do Rosário e Matriz de Santa Luzia. O Santuário permaneceu aberto para visitação até as 16h. O acesso às dependências da igreja só foi autorizado mediante o uso máscaras de proteção e respeito ao distanciamento social. Às 17h, o Arcebispo Metropolitano de Belo Horizonte, Dom Walmor Oliveira de Azevedo, celebrou missa em homenagem ao dia de Santa Luzia.

Com objetivo de evitar aglomerações, todas as celebrações foram pré-agendadas, com número reduzido de fiéis. E para quem não conseguiu reservar horário, todas as missas foram transmitidas pelas redes sociais do santuário. Ao final do dia, fechando as comemorações do jubileu 2020, foi realizada uma procissão motorizada, que percorreu algumas ruas do centro histórico da cidade, com início na Rua do Serro, em seguida passaram pela Rua Floriano Peixoto, com destino à Capela do Bonfim, depois retornaram para Rua Direita, e fizeram uma parada em frente ao solar da Baronesa, onde acontecia a apresentação artística da banda Estrela de São João.

Com o tema “uma nova forma de festejar, sempre a mesma fé”, as famílias tiveram uma nova forma de comemorar o dia de Santa Luzia. “Eu fiquei muito triste por ter a tradicional festa da cidade. Desde pequena, desde criança a gente acompanha, eu fiquei triste por não ter sido uma festa tão grandiosa igual nos anos anteriores, mas pela saúde e segurança de todos valeu a pena o sacrifício”, contou a professora Daniele Regina, que acompanhava tudo pela janela de sua casa.


[ad_2]
Fonte: -> Fonte Desta Notícia