Comemora-se hoje o Dia Nacional da Luta Antimanicomial

[ad_1]

Em Santa Luzia, a data é normalmente comemorada com manifestações como exposições de obras artísticas feitas pelos pacientes e passeatas em protesto contra o tratamento em manicômios

Em 18 de maio, neste ano terça-feira, comemora-se em todo o território nacional o Dia Nacional da Luta Antimanicomial, um esforço conjunto de órgãos de saúde e parcelas da sociedade civil com vistas a modernizar as formas de tratamento dos distúrbios mentais, visando a erradicação de antigos métodos, sobretudo a internação manicomial. Em Santa Luzia, a data é normalmente comemorada com manifestações como exposições de obras artísticas feitas pelos pacientes e passeatas em protesto contra o tratamento em manicômios – estas por vezes realizadas também em Belo Horizonte. Este ano, devido à pandemia da covid-19, todas as atividades serão online. O tema escolhido nacionalmente para 2021 é: “Democracia sim! Manicômio não! Liberdade e vacina contra a política de morte!”

A luta antimanicomial remonta a 1978, quando foi aprovada na Itália a Lei 180, ou Lei da Reforma Psiquiátrica Italiana, que veio a influenciar o modelo de tratamento e a luta pelo fim de instituições manicomiais ao redor do mundo. Ela serviu como referência para a reformulação do sistema psiquiátrico no Brasil, que ainda hoje se encontra em processo de adequação. Em 18 de Maio em 1987, foi realizado um encontro de grupos favoráveis às políticas antimanicomiais e desse encontro surgiu a proposta de reformar o sistema psiquiátrico brasileiro. Pela relevância deste evento, a data de 18 de maio tornou-se o dia nacional de luta antimanicomial.

Em Santa Luzia, oficinas terapêuticas são realizadas todos os dias no CAPS – Centro de Atendimento Psicossocial e têm por objetivo auxiliar os pacientes a se sentirem mais incluídos. Durante as sessões, os pacientes podem circular livremente pela unidade, conhecer melhor a equipe, interagir com outros pacientes, conversar com a psicóloga, bem como se sentir feliz e capaz ao realizar os trabalhos. Isso contribui para a sua melhora. Cada dia é realizado um tipo de atividade como artesanato, tapeçaria, pintura, esportes, sendo que no último ano estão sendo mais restritas devido à pandemia. Os trabalhos podem ser levados pelos pacientes que frequentam a unidade durante o dia, e os que pernoitam deixam as obras à mostra para exposição.

“A importância desta data é reforçar a luta para que o tratamento desses pacientes sempre se dê em liberdade”, esclarece a coordenadora da saúde mental de Santa Luzia, Adenísia do Carmo Silva Araújo. Mais informações podem ser obtidas junto às unidades do CAPS:

• CAPS III (Centro de Atenção Psicossocial)
Atendimento 24 horas para urgências e emergências psiquiátricas.
Endereço: Rua José Silvino Teixeira de Melo, 200 – Boa Esperança
(Fazenda Boa Esperança)
Fone: 3641-5206

• CAPS i (Centro de Atenção Psicossocial Infantojuvenil)
Funciona de segunda à sexta-feira de 08 às 17 horas.
Endereço: Rua José Silvino Teixeira de Melo, 200 – Boa Esperança
(Fazenda Boa Esperança)
Fone: 3649-7933


[ad_2]
Fonte: -> Fonte Desta Notícia