Prefeitura assina contrato com Irmandade e obras no HSJD devem começar em breve

[ad_1]

Na noite desta terça-feira (9), o Prefeito Delegado Christiano Xavier se reuniu com a equipe da Secretaria Municipal de Saúde e membros da irmandade mantenedora do Hospital São João de Deus para acertarem os detalhes sobre a reforma e reabertura da instituição. Depois de todos os pontos acertados, foi assinado o contrato que prevê as diretrizes e critérios que deverão ser cumpridos pelas duas instituições, a fim de garantir o atendimento na unidade hospitalar.
“Nosso plano de governo direcionava para a reabertura do Hospital São João de Deus, mas alguns entraves burocráticos, legais e de outras instâncias, acabaram impedindo que avançássemos, embora a obra já houvesse sido licitada. Na última semana, alguns ajustes tiveram que ser feitos e hoje chegamos a um entendimento com a irmandade. Colocamos no contrato que a organização e gestão do hospital será profissional e compartilhada, para que a Prefeitura também possa fiscalizar e direcionar os interesses e ajustes da saúde que o município precisa”, explicou o chefe do Executivo.
Segundo o prefeito, outro fato importante acordado é que esse valor que será investido para reforma, que gira em torno de R$ 900 mil a R$ 1 milhão será custeado por um fundo perdido que deveria ter sido repassado ao hospital em 2014 e que diz respeito a atendimentos realizados naquele ano. “Existe uma demanda judicial quanto a esse recurso, já está para ser homologada no acordo. Então, essa reforma não vai custar nada aos cofres municipais, pois esse valor é devido ao Hospital São João de Deus”, destacou.
Agora, o contrato foi levado ao Ministério Público, que deverá apreciar o conteúdo. Assim que o mesmo for homologado e não havendo mais ajustes, será dada a ordem de serviço para início das obras, que devem durar aproximadamente 90 dias. Após reaberto, o hospital atenderá 70% ao SUS e 30% a convênios e consultas particulares. “Isso faz parte do plano de recuperação financeira da instituição. Temos um grande desafio, mas com muita segurança de que estamos no caminho certo”, disse.
Além da reabertura do hospital, que deverá acontecer em aproximadamente 90 dias, a proposta de ampliação do Hospital Municipal Madalena Calixto será mantida. “Mesmo reabrindo o HSJD, continuamos com o plano de ampliação e reforma do hospital municipal, com isso vamos aumentar muito a nossa capacidade de resposta e de retaguarda, fazendo um investimento pesado na saúde nos próximos meses”, encerrou Xavier.
“Mesmo com todas as dificuldades financeiras e a falta de recursos, investimos em medidas criativas e de gestão arrojada para ampliar o acesso da população aos serviços essenciais da saúde”, disse a Secretária Municipal de Saúde, Nádia Tomé.
A reabertura será feita gradativamente. A primeira fase será para solucionar, em parte, a demanda por cirurgias, que gira em torno de 3 mil e o déficit de leitos pediátricos. O médico e integrante da comissão interventora, Paulo de Tarso Auais, também falou sobre a maternidade. “Devolver a maternidade para Santa Luzia é um compromisso. São vários anos sem que nasçam crianças na cidade. Nós iniciamos um trabalho junto ao Hospital Sofia Feldman, para que tenhamos esse apoio na reabertura, se tratando de parto normal, gravidez, partos de alto risco, entre outros. O crescimento do HSJD acontecerá de forma gradual, para que ele não precise fechar novamente”, garantiu.


[ad_2]
Fonte: -> Fonte Desta Notícia