Prefeitura promove capacitação para implantação do Serviço Família Acolhedora no município

[ad_1]

Dando continuidade às articulações para a implantação do Serviço Família Acolhedora em Santa Luzia, a secretaria municipal de Desenvolvimento Social e Cidadania em parceria com o GADA – Grupo de Apoio a Adoção, realizou na manhã desta terça-feira (15), no auditório central da Prefeitura, uma capacitação sobre o Serviço Família Acolhedora, que funciona como uma medida de proteção para crianças e adolescentes que vivem em situação de vulnerabilidade. O serviço tem por finalidade fomentar uma política pública que organiza o acolhimento em residências de famílias acolhedoras, crianças e adolescentes afastados da família de origem, mediante decisão judicial, sendo uma modalidade de atendimento que visa oferecer proteção integral às crianças e adolescentes até que seja possível a reintegração familiar.

A capacitação foi ministrada por Neusa Cerutti, assistente social, bacharel em direito e palestrante na área de Assistência Social e Direito da Infância e Juventude. Neusa é referência em implantação do Serviço Família Acolhedora no Brasil. Para ser uma família acolhedora e receber crianças e adolescentes temporariamente em casa, é preciso ter disponibilidade de acomodação, estar em boas condições de saúde física e metal, não possuir antecedentes criminais, possuir situação financeira estável e proporcionar boa convivência familiar.

“As famílias acolhedoras permitem que a criança ou adolescente possam reorganizar sua realidade, elaborar seu sofrimento e construir ou reestruturar suas expectativas e planos futuros com auxílio de figuras de referência, inserido em um ambiente familiar de apoio, aprendizagem e trocas afetivas. A previsão de implantação deste serviço no município é para o início 2022”, informou a superintendente da secretaria municipal de Desenvolvimento Social e Cidadania Luciene Gonzaga.

De acordo com dados do Cadastro Nacional de Crianças Acolhidas (CNCA), da Corregedoria do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), existem atualmente no Brasil cerca de 46 mil crianças e adolescentes em situação de acolhimento. Já o Censo SUAS 2016 identificou que o Serviço de Acolhimento em Família Acolhedora está presente em 522 municípios brasileiros e que existem 2.341 mil famílias cadastradas para acolher 1.837 mil crianças e adolescentes.


[ad_2]
Fonte: -> Fonte Desta Notícia