Santa Luzia afirma ter recebido 762 duas doses de vacina, quantidade insuficiente para o que havia programado e menor do que o Estado informou como enviado

[ad_1]

Santa Luzia, o 13º município mais populoso de Minas Gerais, com mais de 219 mil habitantes, solicita o complemento do que o Governo do Estado reservou e alega ter entregue no dia 19 de janeiro, ou seja, 1.524 doses da vacina Coronavac, conforme consta na “Nota de Esclarecimento sobre a distribuição de vacinas da covid-19 no estado de Minas Gerais”, publicada no dia 21 no portal oficial da Secretaria de Estado da Saúde e amplamente divulgada pela imprensa.

De acordo com a Nota de Fornecimento de Material que acompanhou a carga do imunizante recebido pelo município, foram apenas 762 as doses que efetivamente chegaram à cidade. O paradeiro das 762 faltantes está sendo reivindicado pela Secretaria Municipal de Saúde. “Queremos que a secretaria estadual nos esclareça se o restante dessas vacinas estão armazenadas na Central de Distribuição do Estado, aguardando envio do restante totalizando 1.524 doses”, disse a secretária municipal de Saúde, Nádia Tomé.

Nádia afirma que a prioridade de vacinação foi para os profissionais de saúde da linha de frente ao combate ao COVID-19, com maior probabilidade de se contaminar seguindo a orientação da nota técnica do Ministério da Saúde. Isso inclui os trabalhadores do Hospital Municipal Madalena Parrillo Calixto, os profissionais do Hospital São João de Deus (este exclusivo para o enfrentamento à pandemia, atendendo os casos moderados e graves) e os da UPA São Benedito.

Seguindo a orientação da Nota Técnica publicada pelo Ministério da Saúde no último dia 18 de janeiro, diante das doses disponíveis e seguindo a ordem de prioridade, as doses restantes estão destinadas aos profissionais das residências psicoterapêuticas da rede de saúde mental, devendo a vacinação destes ser iniciada na segunda-feira (25) e concluída até a terça-feira.

Por fim, a secretária esclarece que assim que receber a segunda carga com as 762 doses estas serão administradas como dose de reforço para os que tomaram a primeira, dentro do prazo estipulado para segunda aplicação. Na nota divulgada no dia 21 pela secretaria estadual, consta que o estado abriu “um fluxo de informação junto aos municípios, para que possam atualizar os dados em caso de divergências.” Santa Luzia acabou de receber este formulário e enviará assim que estiver concluído.


[ad_2]
Fonte: -> Fonte Desta Notícia