Santa Luzia tem 6.310 doses de vacinas e quer aplicação imediata

[ad_1]

Orientação do Estado é que imunizantes recebidos sejam armazenadas até 26 de abril, para aplicação da segunda dose. Prefeitura busca ações para manter vacinação na cidade

A Prefeitura de Santa Luzia vem a público informar que apesar de ter em estoque cerca de 6.310 doses da vacina contra a covid-19, a imunização terá que ser interrompida nesta sexta-feira (9), em função das orientações técnicas do Governo do Estado, que determinam que essas doses devam ficar em estoque até o dia 26 de abril, para serem aplicadas como segunda dose.

Neste momento em que a alta de casos sobrecarrega o sistema de saúde, a expectativa do Executivo era, com essas novas doses que chegaram, ampliar o grupo prioritário e iniciar na próxima semana a vacinação para pessoas maiores de 60 anos,. Além disso, armazenar os imunizantes por esse longo período incorre no risco de acontecer uma pane elétrica e as doses serem perdidas, além da maior exposição a roubos e extravios.

“Deveriam liberar esses lotes para aplicarmos como primeira dose e avançarmos em muitos grupos prioritários e idosos, pois tem bastante tempo para repor e garantir essas segunda doses, até o final do mês de abril”, ressalta o Prefeito Delegado Christiano Xavier.

Por essa razão e com o objetivo de dar celeridade à imunização dos luzienses, a Prefeitura acionou a Associação de Municípios da Região Metropolitana de Belo Horizonte (Granbel), com o respaldo da Presidente e Prefeita de Vespasiano Ilce Rocha e com o apoio do Deputado Federal Diego Andrade, para que possam abrir o diálogo com o Secretário de Estado de Saúde e rever as determinações quanto ao estoque de vacinas, para que o município possa avançar e garantir a imunização de mais munícipes.

“É necessário um respaldo legal em razão de uma série de implicações jurídicas e até criminais que podem acontecer caso não respeitemos as orientações do Estado. É importante esclarecer que não queremos colisão e que esse momento está sendo difícil para todos, é um momento de união, mas se necessário for, teremos mais uma vez que judicializar o caso para possibilitar que avancemos na vacinação em Santa Luzia”, reforçou o chefe do Executivo luziense.


[ad_2]
Fonte: -> Fonte Desta Notícia